Campanha será realizada por toda a cidade pela Secretaria de Meio Ambiente.

A Prefeitura de Areal, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, iniciou uma campanha para conscientizar toda a população sobre a destinação correta do lixo verde e entulhos de obras. A equipe da Secretaria começou o trabalho pelos bairros Delícia e São Sebastião e continuará as atividades de conscientização por toda a cidade nas próximas semanas.

O secretário Juvenal Brasil explica que lixo verde é aquele que surge a partir da poda de árvores e plantas e limpeza de jardim, como galhos, cascas de árvores, gramas, folhas e outros materiais orgânicos de origem vegetal. “Outro foco da campanha tem sido mostrar que móveis velhos e resíduos de obras não devem ser descartados de qualquer maneira nas ruas. Em Areal, basta ligar para a Secretaria de Serviços Públicos e agendar a retirada para correta destinação”, explica.

O lixo verde, quando tem descarte correto, pode ser reutilizado de diversas formas, como na preparação de adubo orgânico, criação de artigos de decoração e para áreas de compostagem. Já em relação aos resíduos de obras, parte deles também pode ser reutilizada ou reciclada, enquanto outra pode, inclusive, ser perigosa e deve ter descarte correto para não contaminar o meio ambiente.

O prefeito Flávio Bravo ressalta que desde o início da gestão faz questão de fortalecer as atividades direcionadas à conscientização ambiental da população, desde as crianças nas escolas aos adultos por meio de campanhas. Em paralelo à conscientização sobre descarte do lixo verde e resíduos de obras, os profissionais da Secretaria de Meio Ambiente também informam a população sobre a coleta seletiva no município.

Para agendar a retirada de resíduos de obras e lixo verde, o cidadão deve entrar em contato com a Secretaria de Serviços Públicos pelo telefone (24) 2257-4072.

 

ag-G
As secretarias de Serviços Públicos, Saúde, Defesa Civil e Obras, se mobilizaram para atuar em mutirão contra possíveis focos do mosquito Aedes Aegypti, espécie que está no centro da atual epidemia no país; de zika, além de ser vetor de contágio da dengue, das febres chikungunya e amarela e outras enfermidades mais raras, que preocupam autoridades e assolam algumas regiões do Brasil.

É uma das espécies de mosquito mais conhecidas e difundidas no mundo, segundo a Agência Européia de Prevenção e Controle de Doenças – ECDC. O mosquito que tem o nome o significado de “odioso do Egito”, vem sendo combatido desde o início do século passado.

No período do verão, em decorrência da maior intensidade de chuvas, a reprodução do mosquito é favorecida, aumentando o número de casos e também criadouros de mosquitos, devido a água parada em lajes, vasos de plantas, caixas d’água, piscinas e terrenos baldios com lixo e objetos que facilitam a reprodução. Em meados da década de 90, a dengue passou para a classificação como doença endêmica.

O mosquito surgiu na África em locais de mata e chegou às Américas em navios no período da colonização. Segundo especialistas, ao passar dos anos, encontrou em áreas urbanas, espaços ideais para sua proliferação, se tornando adaptável e com facilidades para dividir o mesmo ambiente com o homem. Ele prefere a água limpa, mas a falta da mesma, não está impedindo que o Aedes Aegypti se reproduza. Estudos, mostram que a fêmea pode depositar seus ovos em água com presença de matérias orgânicos.

As equipes da Prefeitura de Areal, iniciaram o mutirão pelos bairros Pará e Alto Pará. Foram retirados entulhos, visitas de casa em casa, colocadas telas em caixas descobertas, notificados terrenos e anotados os possíveis focos. “Vamos atuar em todos os bairros, conforme foi determinado”. disse o Coordenador de Vigilância em Saúde, Anderson Vieira Carneiro.