Após chuva danificar E.M. Augusto César da Costa, escolas de Areal se unem pela educação

Após-chuva-danificar-E.M.-Augusto-César-da-Costa-escolas-de-Areal-se-unem-pela-educação-6.jpg

Alunos e equipe foram transferidos para o Ciep 429 até obras de reconstrução serem concluídas

A forte chuva da madrugada de 8 de março que atingiu Areal causou danos por toda a cidade, como queda de barreiras, interrupção do fornecimento de água, alagamentos e a suspensão de aulas nas escolas durante dois dias. A unidade escolar mais afetada foi a Escola Municipal Augusto César da Costa, no bairro Amazonas, uma das mais antiga do município, fundada em 1964.

Na manhã seguinte, antes do início das aulas, quando os profissionais e alunos começavam a chegar ao local, um deslizamento provocou danos na estrutura da escola, principalmente no refeitório e na cozinha. A diretora Ilcinéia do Nascimento Santos, carinhosamente conhecida como “Tia Neném”, lembra dos momentos difíceis. “Faltavam 10 minutos para iniciar o café da manhã e tínhamos apenas quatro crianças, que são sempre as primeiras a chegarem. O refeitório foi destruído, parecia um tsunami. Não sei como saímos de lá mas, felizmente e graças a Deus, os danos foram apenas materiais”, explica a diretora.

Ilcinéia lembra de uma situação que ficou marcada logo após a tragédia. “O prefeito Flávio foi muito especial. Quando chegou e viu como estava a escola, ele se colocou à inteira disposição e me deu um abraço falando que tinha sido um livramento. Falou isso com lágrimas nos olhos. Então nos deu muito apoio em um momento de dor e tristeza. Logo depois começamos a pensar em ações para não deixarmos os alunos desamparados e receber muito apoio de todos, dos secretários, da equipe da escola, dos pais. Enfim, ficamos muito acolhidos desde o acontecimento”, afirma.

Mudanças

A primeira opção apresentada foi aceita e bem recebida por todos os envolvidos. Em reunião com a secretária de Educação, Ione da Silva Oliveira, foi decidido que os alunos e equipe da E.M. Augusto César da Costa seriam transferidos para outra unidade escolar municipal. “Quando fiquei sabendo do ocorrido, fiquei muito comovida. Na reunião com a secretária, ela perguntou se poderíamos acolher a escola atingida no Ciep 429. Ficamos preocupados no início se conseguiríamos atender bem, mas foi tudo tranquilo. O Ciep tem um espaço muito bom, bem amplo, e pudemos receber todos com muita alegria”, comenta a diretora da unidade, Marli Rodrigues.

A mudança aconteceu no meio da semana e, com a parceria firmada, o processo foi tranquilo para as equipes e os alunos. “A acolhida foi tão maravilhosa que eles disponibilizaram até mesmo mobiliário. Trouxemos só o necessário”, afirma Ilcinéia. Algumas questões como merenda para os alunos e horários de entrada, saída e intervalos, que poderiam preocupar pais e responsáveis, foram definidas antes do retorno às aulas, que aconteceu na quinta-feira (15).

Em relação à merenda, todo o estoque foi perdido na escola do bairro Amazonas e o setor de merenda da Secretaria de Educação foi mobilizado para organizar a logística de forma a suprir as necessidades de ambas escolas no Ciep. Já em relação à entrada e saída dos alunos, foram definidos horários diferentes para cada escola, com diferença de 30 minutos, para manter a organização. O transporte dos alunos da E.M. Augusto César da Costa continua como antes, agora com destino ao Ciep.

Gratidão

Profissionais experientes e respeitadas na educação de Areal, as professoras e diretoras das escolas são amigas de longa data e comemoraram a possibilidade de apoio entre as equipes neste momento. “A ‘tia Neném’ é uma excelente profissional, uma grande amiga e tem feito muitos trabalhos maravilhosos pela educação. Está sendo uma honra recebê-la, junto com sua equipe e seus alunos, no Ciep”, revela Marli Rodrigues.

A emoção tomou conta de Ilcinéia ao comentar a parceria. “Não foi surpresa por saber que ela é uma pessoa que se dedica há muitos anos à educação. Nos recebeu com muito carinho e dedicação. São quase 190 alunos que estão sendo muito bem recebidos e atendidos. Tenho certeza que dias melhores já começaram e essa união das escolas, buscando fazer o melhor uma pela outra, vai transcorrer da melhor maneira”, diz a diretora, que faz questão de agradecer todos os envolvidos no processo, que apoiam e auxiliam a mudança.

A Prefeitura trabalha, no momento, na análise dos danos sofridos pela E.M. Augusto César da Costa e não há prazo definido para o retorno das atividades no local. O prefeito Flávio Bravo está acompanhando de perto a questão e garante que alunos e profissionais da educação só voltarão à unidade quando a mesma oferecer total segurança para todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *